05 de Abril de 2009

Preparava-me para sair e abri um caderno que, há pouco tempo, me ofereceram num trabalho. Na primeira página, sob uma imagem árida, de uma praia meio desertificada (que me fez lembrar a minha...), estava escrito: "Não deixe nada por dizer". Sorri. Era exactamente naquilo que pensava antes de o abrir. Nesse momento, desejei que o tempo pudesse voltar atrás. Horas apenas. Minutos (muitos) talvez. Às vezes, queria só poder sustê-lo, como sustenho a respiração em momentos de angústia ou aflição. Poder pará-lo, como páro a marcha quando acho que não vou ser capaz de prosseguir caminho. Retê-lo em mim o suficiente para conseguir sentir. Respirar fundo e ter a certeza de que nada faria de diferente e que, mesmo que não haja amanhã e que os desejos diminuam de intensidade, "houve qualquer coisa quente quando estiveste"

publicado por Inês Alves às 11:15
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
28
29
30
Posts mais comentados
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO